sábado, 3 de maio de 2008

MÃE.. QUE PALAVRA DOCE...

NO DIA DA MÃE...
---
Não sei dizer o porquê...
... às Mães se dedica este dia
se são Mães todo o ano, já se vê,
em permanente amor e alegria?
Quando pegam a nossa mão,
e nos levam a passear...
elas transportam no coração
todo o amor que nos querem dar!
À noite, ao velar por nós,
guardando o nosso dormir...
... cantam num murmúrio de voz,
de lábios abertos, a sorrir!
Certamente há um bom motivo
para terem o seu dia...
... minha Mãe, és o meu sorriso,
como o é a Virgem Maria!
---
Victor Elias

quarta-feira, 30 de abril de 2008

O DIA DO TRABALHADOR... PORQUÊ O 1º. DE MAIO?

Desfile do 1º. de Maio
---
* - Quando olhamos a história, verificamos ter-se realizado uma manifestação, em 1 de Maio de 1886, organizada por centenas de milhar de trabalhadores nas ruas de Chicago. Reivindicavam a redução do tempo de laboração para as 8 horas diárias. Nesse mesmo dia realiza-se uma greve geral nos Estados Unidos. No dia 3 houve um pequeno levantamento, que acabou em confrontos com a polícia, que matou um dos "protestantes". No dia seguinte, nova manifestação foi organizada, em protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores, havendo a considerar o lançamento de uma bomba, arremessada por desconhecidos, contra a polícia, provocando a morte a sete agentes. A polícia resolveu então abrir fogo sobre a multidão, matando 12 pessoas e ferindo muitas dezenas. Estava assim consumada a REVOLTA DE HAYMARKET.
* - Três anos após os acontecimentos acima relatados, a 20 de Junho de 1889, a segunda Internacional Socialista, reunida em Paris, aceitou a proposta de Raymond Lavigne, para que fosse convocada, todos os anos, uma manifestação para lutar pelas 8 horas de trabalho diaárias. Escolheu-se o 1º. de Maio, homenageando as lutas sindicais de Chicago. No 1º. de Maio de 1891, no norte de França, a polícia dispersou uma manifestação, matando 10 manifestantes. Foi este drama que veio a reforçar a ideia do dia de luta dos trabalhadores. Meses depois, a Internacional Socialista de Bruxelas proclamou o 1º. de Maio como o DIA INTERNACIONAL DE REIVINDICAÇÃO DE CONDIÇÕES LABORAIS. A 23 de Abril de 1919, o senado francês ratificou o dia de 8 horas e proclamou o 1º. de Maio desse ano como feriado. Em 1920 foi a vez da Rússia decretar o 1º. de Maio como feriado nacional, sendo este exemplo seguido por outros países.
* - A decisão da Comuna de Paris de decretar o 1º. de Maio como o DIA INTERNACIONAL DO TRABALHADOR, teve repercussões em Portugal. Segundo o Professor José Mattoso, "houve um reforço da luta do movimento operário português em finais do século XIX, sendo em torno da associação e da greve que gravitou o próprio movimento operário!". Entre 1852 e 1910, em 58 anos, realizaram-se em Portugal "apenas" 559 greves . Coisa pouca.Ainda segundo José Mattoso, o movimento operário alcançava grande força quando "aquelas associações a que hoje chamaríamos própriamente 'sindicatos' se juntavam com as recreativas, as de socorros mútuos e os centros políticos". Tal ficou demonstrado no 1º. de Maio de 1900, que juntou em Lisboa cerca de 40 mil pessoas, numa altura em que "as classes médias ainda viam as organizações de trabalhadores com alguma simpatia".
* - Durante a 1ª. República continuou a festejar-se o Dia do Trabalhador, mas o dia não constava da lista de feriados aprovada pelo novo regime. No ano de 1933 foi decretada a "unicidade sindical" e o "controle governamental dos sindicatos", esmorecendo então o movimento operário, que só voltou a ganhar ânimo na década de 40. Durante o Estado Novo as manifestações do DIA DO TRABALHO (e não do Trabalhador), passaram a ser organizadas e controladas pelo Estado.
* - O primeiro de Maio celebrado após o 25 de Abril foi a maior manifestação jamais organizada em Portugal. Só em Lisboa juntou-se mais de meio milhâo de pessoas. Para alguns foi a forma de demonstrarem haver aderido ao 25 de Abril, acontecido uma semana antes para restabelecer a democracia... apesar de estar mais que demonstrado que se enganaram ao encomendar o produto, talvez porque não há qualidade na democracia vinda de leste, diz-se.
* - A democracia de qualidade não corrompe, não engana, não é demagógica, é transparente, não tem cores indefenidas, desbotadas... ao passo que a democracia que Portugal viu ser implementada pelos cravos de Abril, talvez porque os cravos são flores que perdem o viço, o cheiro e a côr com o decorrer dos dias, seguiu os passos desta e aí está o resultado: Corrupção - compadrio - violência - desemprego - insegurança no trabalho, nas ruas, no dia-a-dia das pessoas - injustiça social - descalabro na prestação de cuidados de saúde, na educação, na velhice... para não fazer um quadro mais negro do Portugal de hoje.
* - O DIA DOS TRABALHADORES É UMA CONQUISTA REAL DAQUELES HOMENS QUE, UM DIA, PRETENDERAM LUTAR POR UMA SOCIEDADE MAIS JUSTA... MAS ESSA CONQUISTA ESTÁ CONFRONTADA COM VALORES QUE NÃO SÃO RESPEITADOS À DIREITA OU À ESQUERDA, PORQUE OS PATRÕES SERÃO SEMPRE PATRÕES... E OS PARTIDOS DE ESQUERDA PUGNAM POR QUIMERAS INATINGÍVEIS, PORQUE SÃO APENAS DEMAGOGIAS PROMETIDAS NOS MOMENTOS DE CAMPANHA.

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!