segunda-feira, 13 de outubro de 2008

COISAS DO PASSADO

* Muita gente se interroga sobre a verdade ou mito da existência do celebrado Viriato, o heróico chefe dos Lusitanos que ousou medir forças com o poderio da Roma imperial, decorria o século II a.C., ou seja... há mais de 2.100 anos.
* Há notícia de que a antiga Lusitânia
estaria situada nos Montes Herminius, nas faldas da Serra da Estrela, sendo certo que até se fala na Cava de Viriato, que estaria situada perto da cidade de Viseu, no local onde hoje existe uma estátua ao Chefe Lusitano... mas também há outras histórias que teimam em contrariar a História, como é o caso da que nos conta o historiador espanhol Maurício Munõz, tendo como acólito ou sacristão ou lá o que ele pense que é, o sempre espantoso Diogo Freitas do Amaral, que nos dizem que Viriato não viveu em Viseu, nos Herminios, não era pastor e teria vivido lá para as bandas do Sul, entre a Estremadura espanhola e a Andaluzia, perto do Alentejo.
* Dizem ainda que o pai era um chefe tribal de nome Cormínio, e que teria sido casado com Tangina, filha de um ricaço da Bética - Andaluzia - de nome Astolpas. Que o nome Viriato é de origem celta e que, porque não herdeiro do pai, se tornara um salteador, de onde lhe vinha a excperiência com as armas. Já Possidónio e Cássio, historiadores de origem romana, assim como outros, o chamavam de "dux latronorum", ou seja CHEFE DE LADRÕES.
* Seria um homem corajoso, muito leal e com enorme capacidade de chefia, que foi pastor, guerrilheiro e general. Foi após o massacre dos Lusitanos perpetrado pelos legionários do general romano Sérvio Galba, no ano de 150 a.C., que o nome de Viriato foi colocado nas páginas da História. Sobrevivendo ao massacre, logo encabeçou a resistência aos romanos, a quem consegue derrotar nos vários recontros que vão acontecendo entre 147 e 140 a.C., chegando ao ponto de conquistar Segóbriga - a actual Cuenca - e tomando em mãos o controle de grande parte da Andaluzia. É assim que veio a conseguir que Roma lhe pedisse tréguas, que concedeu. Por via dessas tréguas, o Senado romano mandou à Hispânia o general Quinto Cipião, que ataca de surpresa Viriato e o obriga a negociar a paz.
* Viriato mandou três emissários para as negociações, de seu nome Audaz, Minuro e Ditalco, mas estes, aliciados por Cipião, acabaram por assassinar o seu Chefe. Quando pediram a Cipião a recompensa por este prometida, Cipião terá respondido que "ROMA NÃO PAGA A TRAIDORES!"
* O corpo de Viriato foi queimado segundo os costumes dos heróis: - Ergueu-se uma enorme pira onde o corpo foi cremado, enquanto os guerreiros iam imolando vítimas em sacrifício, como homenagem ao grande Chefe, que partira.
* RESUMINDO: Viriato era apenas um pastor, habituado desde criança a percorrer as altas montanhas dos Hermínius (actual Serra da Estrela), onde nasceu, e que conhecia como a palma das suas mãos. Foi naquelas montanhas que os que os Romanos tiveram mais dificuldades na sua luta para subjugar os Lusitanos.
* À terra-natal de Viriato, a localidade mais próxima do ponto mais alto dos Hermínius , os Romanos puseram o nome de Lorica, nome de antiga couraça guerreira. Hoje chama-se Loriga.

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!