sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

SALAZAR... E AS GARINAS

Por vezes, mesmo que se não pretenda nada disso, "VEMOS OUVIMOS E LEMOS" as coisas mais estapafúrdias contra o "Zé dos Anzóis", mesmo que não saibamos onde reside este mânfio, se tem os impostos todos certinhos e em dia, se tem ou não multas de trânsito para liquidar... além de que é premente saber-se em que período foi veranear para a "estranja", se antes se depois de eclogir o terrorismo em África.
Agora há uns "xicos espertos" que descobriram que o Ti Tóino caíu numa banheira, não dando com a "mona" no chão em virtude da queda provocada por uma cadeira de armar... que se desarmou!.
Sejamos honestos e coerentes: António de Oliveira Salazar ter caída de uma banheira, numa cadeira, sobre a fofura uma diáfana almofada ou sobre o chão pedregoso do Forte onde passava aquele fim-se-semana.
Como não conseguiram denegrir o seu carácter forte, quando do Concurso da RTP, toca a "arranjar" outras provas mais capazes de o denegrir, de o deitar abaixo, como convém ao "PAI DA DEMOCRACIA", o inefável Marocas de Nafarros!. Havendo memórias que são imortais, que o tempo jamais apagará, bem se podem esforçar os historiadores bloquistas, que não vão conseguindo capitalizar aderentes às suas estafadas histórias de benfazer e maldizer, por muito que se esfalfem em tentar comprovar que nós, aqueles que "fizemos" as Guerras do Ultramar, deixámos um rasto de dor e morte, com massacres de " Whiriamus" misturados numa amálgama
que poderemos situar entre o "SER PORTUGUÊS"..."CUMPRIR O DEVER DE CIDADÃO"...
...e não se pense que o signatário era um homem de algum modo resignado àquilo que a Mãe-Pátria se havia proposto proporcionar-lhe, no "curso" acerlerado frequentado na Escola Superior do Aljube, onde havia Mestres como Silva Pais e tantos outros, que nem vou citar.
Já agora... para terminar sem dores de dentes, alvitro que se faça um clone do "Ti António da Calçada" enquanto é tempo e que se não tenha medo de assumir o óbvio: Vivi no Tempo de Oliveira Salazar! Vivi no Tempo de Marcelo Caetano, procuro sobreviver depois do 25 de Abril, mesmo que as eminências pardas da Nação teimem em denegrir tudo e todos aqueles que ousaram ser voz de Salazar em terras de além mar!
Agora vão tentar dissecar quantas "quecas" o "Botas" era capaz de dar, por dia ou por semana, não importa, como é que elas eram na alcova e outras coisas de somenos importância para a biografia de Oliveira Salazar... mas que os seus figadais inimigos de muitas lutas na clandestinidade, querem tentar reverter a seu favor. É que o raio do Ti António, como bom serrano Beirão, era tudo... menos defensor de alguns movimentos gay que por aí pupulam. Vamos lá tentar saber como é que ele tinha aquelas gajas todas na sua galeria de admiradoras... e pode ser que se aprenda mais alguma coisa com ele. Já agora...
E.... apetece sorrir, acreditem! O Homem já partiu para lá de ontem-e-ontem para as pradarias onde apascentam a Harmonia e a Paz.... mas ainda mete tanto medo àqueles que lá saberão porque tal acontece! Morreu!!! QUE DESCANSE EM PAZ, POIS BEM O MERECEU!

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!