sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Histórias na história de Leiria

Desde sempre entendi que me era necessário conhecer a história do Castelo de Leiria, para assim ser possível poder afirmar saber como surgiu a minha cidade, quem a habitou, quais as lendas que lhe estão subjacentes, quem foram os filhos ilustres desta cidade que foi até cantada por um dos Reis de Portugal, que a escolheu como residência sazonal "...e dela se fez mister doar a vila a sua Rainha e esposa, Dona Isabel de Aragão, que com ele, nos Paços Reais, residia!" - no dizer de Frei Angelo de Torredora, frade que foi da Ordem de São Francisco, em Leiria.
A privilegiada localização de Leiria, que nasce num cabeço rochoso e se espraia atè às margens do rio Lis, foi sempre uma tentação para cristãos ou mouros, que a pretendiam como sua. Dom Afonso Henriques, no inverno de 1135, mandou que fosse eregido um castelo sobre o morro existente na margem esquerda do Lis, visando proteger as terras de Soure e de Coimbra, que amiúde eram objecto de ataques mouriscos, vindos de Sevilha, dos Algarves ou de Santarém. Uma vez fortificado aquele monte, os cristãos ficavam em situação óptima para proceder a um ataque a Santarém... e Lisboa.
Claro que os mouros ficaram furibundos e, corria o ano de 1137, toca a tentar a conquista do Castelo, que os cristãos defendiam valentemente. Em Dezembro de 1140 nova investida dos infiéis, mas desta vez foi mesmo a doer, pois 250 valentes cristãos foram passados à espada, enquento muitos outros aprisionados, entre os quais o próprio Alcaide do Castelo, D. Paio Guterres. Parte da nobreza, para desgosto de el-Rei, veio a perder a vida neste ataque, conforme relata a crónica dos monges de Santa Cruz de Coimbra.
Porque os cristãos Portugueses não se dão por vencidos e pretendem expulsar os mouros das terras de Leiria, em 1142 os sarracenos são vencidos e expulsos, voltando o castelo e a vila a ser território cristão... não sem que o inimigo continuasse a dar permanente e feroz luta. Em 1144 foram os mouros até Soure e aí mataram ou reduziram ao cativeiro os Cavaleiros Templários, que se lhes tentavam opôr.
No dia 16 de Junho de 1145, uma postura municipal de Coimbra , talvez influenciada por D. Afonso Henriques, que era senhor desta cidade, determinou que "...todos aqueles que quiserem ir a Jerusalém não tenham licença senão para ir em auxílio dos castelos de Leiria e de toda a Estremadura, e os que lá forem mortos tenham tantas indulgências como se tivessem ido a Jerusalém". Leiria passou deste modo a ser equiparada à Terra Santa, naquilo que respeitava a indulgências para os cruzados combatentes.
Mas as histórias de Leiria relacionadas com a História de Portugal são muitas... que eu irei contar enquanto não me disserem que é tempo de parar!

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!