quarta-feira, 28 de outubro de 2009

LEIRIA DO VERDE PINO

Leiria vista por um pintor da cidade
*
Tanto poeta te canta ,
Princesa do Rio Lis,
que te beija... e se espanta
pois chega à foz bem feliz...
...ai flores do Verde Pino,
não vistes o meu amigo?...
No Castelo tens teu brazão,
que te honra e te enobrece,
parecendo fazer uma prece
à Senhora da Encarnação...
...ai flores do Verde Pino,
não vistes o meu amigo?...
Do teu Pastor Peregrino,
sente Lísea a saudade,
e Afonso Lopes Vieira
é memória de ti, cidade!
...ai flores do Verde Pino,
não vistes o meu amigo?...
As tuas ruas velhinhas
tão plenas de vida pujante,
afirmam a minha certeza:
como és bela e cativante!
...ai flores do Verde Pino
não vistes o meu amigo?...
Leiria és minha saudade,
plena de graça e encanto,
quando te não vejo, óh cidade,
meus olhos alagam-se em pranto!
...ai flores do Verde Pino,
não vistes o meu amigo?...
Nas sombras do Marachão
ouvem-se pássaros a cantar...
...trinam poemas de amor,
cantigas que fazem chorar!
...ai flores do Verde Pino,
não vistes o meu amigo,
que tanto tarda em chegar?...
É por ti, Leiria amada,
que meus ais se vão soltando,
nesta saudade magoada
que deixa meus olhos chorando!
...ai flores do Verde Pino,
não vistes o meu amigo
que vem o meu choro parar?...
*
Poema de
Victor Elias

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!