quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

No Advento... já é Natal!!!

"Advento" vem do latim "adventus" e significa “chegada”, do verbo "advenire": “chega a”.
É este o primeiro tempo do Ano Litúrgico e antecede o Natal. Deveria significar para os cristãos um tempo de preparação e alegria, de especial expectativa, durante o qual os fiéis, que esperam o nascimento de Jesus Cristo, é suposto viverem o arrependimento, promoverem a fraternidade e a paz.
No calendário religioso é um tempo que corresponde às quatro semanas antecedentes do Natal. Neste tempo do Advento toda a Igreja vive momentos de forte mergulho na liturgia e na mística cristã. Porque é tempo de esperança, devemos estar atentos e vigilantes, preparando alegremente a vinda de Jesus Cristo, como a noiva que toda se enfeita e prepara para receber o seu amado.
O Advento começa na véspera do domingo mais próximo ao dia 30 de novembro, indo até às primeiras vésperas do Natal de Jesus, o que deverá contar quatro domingos.
É um tempo com duas características: nas duas primeiras semanas, toda a expectativa da Igreja se centra na segunda vinda definitiva e gloriosa de Jesus Cristo, o Salvador e Senhor da história. As duas últimas semanas, dos dias 17 a 24 de dezembro, são de especial preparação para a celebração do Natal, que corresponde à primeira vinda de Jesus para estar entre nós.
O Tempo do Advento deve ser um tempo de piedosa e alegre expectativa, até por nos recordar a dimensão histórica da salvação, o que evidencia a dimensão escatológica do mistério cristão e nos torna pertença de uma Igreja militante, no caráter missionário da vinda de Cristo. Este caráter missionário do Advento é manifestado na Igreja pelo anúncio do Reino e pelo seu acolhimento no coração do homem até a manifestação gloriosa de Cristo.
As figuras de João Batista e Maria dão exemplos de vida missionária a cada cristão, quer preparando o caminho do Senhor, quer levando Cristo ao irmão para o santificar. Não se pode esquecer que a humanidade e a criação vivem um clima de advento, de ansiosa espera da manifestação cada vez mais visível do Reino de Deus.
No Advento, precisamos questionar e aprofundar a vivência da pobreza, não a pobreza económica, mas aquela que nos leva a confiar, ao abandono e inteira dependência de Deus e não dos bens terrenos.
O Advento é também um tempo de conversão. É necessário que o caminho do Senhor seja "aplanado" nas nossas vidas. A vivência deste tempo litúrgico acontece se fazemos reviver alguns valores essenciais das nossas vidas de cristãos, tais como: a esperança, a pobreza ou a conversão.

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!