segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Tragédia na Madeira

Mais uma vez a Ilha Madeira, a nossa Pérola do Atlântico, está a viver uma tragédia como não acontecia há mais de 100 anos.
O Arquipélago foi assolado por uma terrível tempestade, no passado sábado, que provocou, no Funchal, graves inundações e deslizamentos de terra, provocando destruições de grande monta, destruindo pontes, bloqueando estradas com pedras e lama e interditando partes da ilha, havendo a lamentar mais de 40 mortos, tendo cerca de 120 pessoas fica do feridas e outras 300 a passarem a noite em abrigos temporários. Houve ainda mais de 240 pessoas que perderam as casas, e esperam-se ainda mais feridos e desaparecidos.
As autoridades do Continente de várias equipas de salvamento para o local e bem assim alguns engenheiros militares, para auxiliarem nos trabalhos que se torna necessário realizar na ilha.
Foram também enviadas para o local algumas equipas de mergulhadores , para prestarem ajuda no resgate de corpos, pois acredita-se haverem muitas vítimas que terão sido empurradas para o mar durante a tragédia e morrido afogadas.
Segundo o Presidente da Câmara do Funchal, Miguel Albuquerque, há áreas da cidade que foram particularmente afectadas e que "aquilo que aconteceu nas zonas mais altas do Funchal foi algo de dantesco", afirmou pela televisão. Disse ainda ser de esperar que o número de vítimas venha a aumentar, pois encontram-se ainda muitas casas soterradas.
O Secretário Regional dos Assuntos Sociais da Madeira, Francisco Ramos, declarou haver no Arquipélago 42 mortes já confirmadas.
Desde 2001, quando ruiu a ponte de Entre-os-Rios, sobre o rio Douro, matando 59 pessoas, esta é a pior tragédia acontecida em Portugal.
Muitos carros foram arrastados pela correnteza e algumas casas ruíram ou foram bastante danificadas, no pretérito sábado. Há estradas totalmente destruídas ou bloqueadas pelas pedras, árvores e lama que foram arrastadas pelas águas revoltas das ribeiras...
Não há uma estimativa oficial para o número de desaparecidos.
O Presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, afirmou não haver "nenhum incidente grave" a envolver o sector do turismo Madeirense. Muitos dos turistas na Ilha, que se haviam deslocado para participar no popular cortejo de Carnaval, realizado na última semana, são cidadãos britânicos que aproveitaram as férias escolares para o efeito. "O hotel não tem a lotação esgotada, no momento, mas temos clientes de toda a Europa: britânicos, holandeses, alemães. Graças a Deus, eles estão todos bem e sabemos que não houve vítimas entre os turistas nos outros locais da ilha", segundo afirma um recepcionista do Hotel Windsor, no Funchal, que não se quiz identificar.

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!