sábado, 2 de outubro de 2010

A REPÚBLICA FAZ 100 ANOS

Neste ano do 1º. centenário da República teremos de dar relevo àquilo que esta veio trazer de inovador à Pátria Portuguesa, pois não se tratou apenas de "correr" com Sua Majestade o Rei D. Manuel II, jovem ainda na menoridade, já porque a maioridade era aos 21 anos e seu pai foi assassinado em Fevereiro de 1908, tinha ele escassos 18 anos, atingindo a idade em que as responsabilidades lhe poderiam ser imputadas já no exílio inglês, pois fez 21 anos a 15 de Novembro de 1910, um mês e 5 dias após a revolução republicana.
E esse relevo prende-se com o ter a República iniciado o Registo Civil, o ensino primário obrigatório, acabam-se os títulos nobiliárquicos, é autorizado o divórcio, legisla-se a igualdade de direitos, a regulação dos filhos naturais, a proteção à infância e velhice, o direito à greve, a reforma ortográfica, a lei de imprensa...
Mas logo que se deu a implementação do regime, logo Afonso Costa pugnou também por um anticlericalismo desenfreado que levou ao encerramento dos conventos, à proibição do ensino nas escolas católicas, à separação entre a Igreja e o Estado, à expulsão dos religiosos e religiosas...Leiria também sentiu isso na pele, mas era uma pequena cidadezinha de província, sem grande expressão no todo nacional, pois ao tempo nem sequer a Diocese tinha Pastor, uma vez que tinha vagado o Bispado em 1880, apenas sendo restaurado em 1918, com o nomeação de D. José Alves Correia da Silva para Bispo de Leiria. De qualquer modo, foi restaurado o Bispado durante a vigência da 1ª. República, não sendo alheios ao facto os acontecimentos ocorridos com as três crianças que na Cova da Iria, freguesia de Fátima, afirmaram ter visto Nossa Senhora.
Sabe-se o que foi a perseguição às crianças, apenas três simples pastorinhos de ovelhas ou a colocação de bombas na Capelinha que albergava a azinheira sobre a qual a Senhora desceu dos céus...
Foi também na 1ª. República que se adotou a atual Bandeira e o Hino "A Portuguesa" - título talvez influenciado pelo hino francês "A Marselhesa" - além de se ter criado a nova moeda: O ESCUDO... que agora é apenas um objeto para colecionadores.

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!