domingo, 15 de janeiro de 2012

MÃE... QUE SAUDADES DE TI !!!


eterna é a saudade

Naquele dia, já distante,
que ainda tenho na mente
partistes tão docemente
de uma forma tão pungente...
Fostes sem muito queixume
recordo, passados os anos...
... nem sequer houve azedume
por uma vida de enganos,
que vivestes sem queixume...
Naquele tempo, distante,
vivestes toda para os teus...
...fostes Mãe, Esposa amante,
até que fostes para Deus!
Fiquei orfão tão criança,
mas fui no teu coração...
...tinha em ti tanta esperança,
mas contigo morreu a ilusão!
Tinhas filhos que te amavam,
alguns eram tão pequeninos,
se soubesses como estimavam
que orientasses os seus destinos...
Mas Deus não quiz assim -
queria-te com Ele, na verdade -
e eu, Mãe, pobre de mim,
fiquei preso à tua saudade!
Mas d'aquele dia de Janeiro,
era o 15, vê a ironia,
ficou-me o desejo verdadeiro
de sempre te beijar neste dia!
Todas as flores deste mundo
gostaria agora oferecer-te...
...este é o modo mais profundo
que tenho para agradecer-te
pelo facto de me dares a vida...
...e por isso não posso esquecer-te...
quantas saudades,  Mãe querida!
*
À minha Mãe, no 61º. aniversário
da sua partida para Deus.
Victor Manuel Elias

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!