quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

ALEMANHA NAZI... OUTRA VEZ?

"Depois do calmo Buzek, o furacão Schulz"

A 18 janeiro 2012 Martin Schulz tornou-se  Presidente do Parlamento Europeu.

A eleição de Martin Schulz para a presidência do Parlamento Europeu veio provocar, sem dúvidas,  uma mudança no ambiente daquela assembleia. Depois do  consensual polaco Jerzy Buzek,  temos agora um tumultuoso e ambicioso socialista alemão que pretende agitar as instituições representadas em Bruxelas.
Martin Schulz é, sem sombra de dúvidas, o único eurodeputado de língua alemã conhecido pelos seus compatriotas que se torna presidente do Parlamento Europeu. A sua eloquência deu resultado. Ele, que normalmente ultrapassa o tempo que lhe é concedido para falar, na sessão plenária, “para mostrar aos seus colegas que ninguém fala mais do que ele”, conforme escreve o Der Spiegel .
O semanário de Hamburgo explica que Schulz quer fazer com que o Parlamento Europeu evolua “para um contrapoder”. “Vai opor-se ao Conselho Europeu”, onde os chefes de Estado e de governo maquinam as decisões e quer pressionar a Comissão Europeia através de iniciativas políticas, “pouco lhe importando se está ou não escrito nos tratados”, como ele próprio disse. Lembrando que Schulz, contrariamente aos seus antecessores, não está em fim de carreira e ainda tem outras ambições políticas, o Der Spiegel prevê uma luta pelo poder, pela atenção e pelo monopólio da interpretação dos tratados,  que pode falhar e ridicularizar o Parlamento Europeu ou modificar as estruturas de poder em Bruxelas.
Uma opinião  que é partilhada pelo Finantial Times Deutschland, que, no entanto, duvida da capacidade de Schulz em impor os seus “golpes”. Por exemplo, Schulz quer participar ativamente nas cimeiras da UE, começando pelas negociações sobre o pacote económico.
Mas a Alemanha Nazi 'ensinou' bem os seus seguidores, que ainda assim foram às aulas da antiga STASI da RDA e tiraram altas classificações, de tal modo que continuam a manobrar nos bastidores para deitar por terra a 'ingénua' Grécia todos os países que teimam em não alinhar com a Hitler de saias, essa anafada e mal amada senhora Merkel.
O Presidente do Parlamento Europeu criticou Passos Coelho por ter ido a Angola pedir mais investimento em Portugal e a besta do Martin Schulz diz que isso só aconteceu porque Angola tem muito dinheiro e que o futuro de Portugal é o declínio. Depois de um coro de críticas, Schulz esclareceu que foi um mal entendido e que não criticou o Governo português, mas sim a falta de solidariedade na Europa. Só quem os não conheça poderá ter ilusões sobre o verdadeiro pensamento destes politicos alemães. Querem-nos impôr a superioridade da 'grande' Alemanha - que o é, sem dúvida - e que se encontra subjacente a este discurso um tanto confuso e demasiadamente enrolado.
Este senhor Schulz bem saberá das ligações e dos laços históricos que  ligam  Portugal a Angola e aos outros países de lingua portuguêsa, o que me leva a dizer que a sua intervenção não é inocente. Ou será que ainda não perdoaram o facto de Portugal não pactuar com os seus crimes quando das longas noites nazis? 
O que ele fez é apenas e tão só uma ingerência encapotada e perversa nas nossas decisões como estado soberano. Talvez esteja a antever um futuro em que, a continuar a subserviência dos nossos 'queridos' governantes, não tardará a ser Portugal mais um fantoche, uma marioneta nas mãos dos 'boches', integrados de pleno direito na 'Grande Alemanha' da 'mãezinha SS' Angela Merkle.  

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!