sábado, 17 de novembro de 2012

ATÉ QUANDO, LEIRIA?


Nesta fotografia há dois ex-libris da cidade bem visiveis, pois o terceiro apenas nos é sugerido pela esquina bem à direita na foto. Desculpem aqueles que me lêem, mas estou a induzir-vos em erro, porque ex-libris podem ser o edifício da antiga Associação de Futebol de Leiria ou o edifício onde funcionou a oficina de bicicletas e motorizadas do saudoso 'Sr. Afonso das Bicicletas'. É uma tristeza alguém aceder à 'net' e encontrar fotografias a comprovarem o desleixo demonstrado por uma certa maneira de ser e estar como autarca , que veio deixar a cidade num estado caótico em termos de 'zona histórica', porquanto apenas se mostrou 'obra feita' na extensão de Leiria para além dos seus Arrabaldes.
  
A Rua Barão de Viamonte, a velhinha 'Rua Direita', precisa mesmo de uma intervenção cuidada e capaz de lhe devolver alguma da dignidade que em tempos ostentou.
Morava eu na Rua Alfredo Keil nos meus tempos de criança. Quando saía a porta de casa tinha duas opções: Subia as escadinhas de Santo Estevão, que se iniciavam à porta de casa, ou descia a Travessa da Paz e estava no Terreiro. Aliás, era este o meu caminho para a catequese, com paragem frente à montra da Mercantil do Sr. Marcelino, para vêr as guloseimas que ele lá expunha, sei lá se para provocar a garotada ou levar os seminaristas, que ali passavam para a Missa do meio dia, a experimentarem a tentação da gula.
No regresso a casa, ficava um bocado na Congregação Mariana, mesmo ao lado da loja que o senhor Bandeira tinha no edifício do 'Correio Velho', onde funcionou a Protecção às Raparigas. 
Entrei algumas vezes neste prédio, onde morava o João Ruano dos plásticos ou o Inspector Escolar, Professor Guerra e sua esposa, a Professora Dona Teresa, além de outras pessoas amigas e conhecidas, algumas delas meus companheiros de escola. No piso térreo funcionava a Sociedade de Paralelipípedos do Sul e os escritórios da Vinícola da família Marques da Cruz.
 
A casa do Hingá e da Tipografia do Carlos Silva ou a Rua da Vitória... não mereceriam uma intervenção que as fizesse merecerem situar-se num local que até deveria ser cartão de visita, como é o Largo da Sé?
Estou em crêr que dentro em pouco teremos uma Leiria totalmente renovada... mas muitos dos que a viram caída aos bocados, como se o fosse em desgraça, nunca deixarão de comentar que alguém deixou a cidade de rastos... e isso dói.
 
A Farmácia Lino até ficou bonita, não acham? Julgo que será o caminho certo para recuperar esta nossa Leiria... mas sabemos bem que a Câmara não tem dinheiro! Acontece que um pouco hoje e outro amanhã... talvez permita restituír a Leiria um pouco daquilo que perdeu nos últimos anos!

NO MUNDO ASSIM...

NO MUNDO  ASSIM...
era bom viver nesta terra... bonita!